11 de dez de 2011

Fracasso - Benção Disfarçada?


E quanto a mim? Sigo aprendendo...

Espero que gostem!

FRACASSO – BENÇÃO DISFARÇADA?
Se pararmos um pouco para refletir com respeito à vida de pessoas 
que tiveram uma passagem notável nesta Terra, 
chegaremos à conclusão que, o que elas tiveram de notável, 
na verdade foi a capacidade de definir o que queriam com clareza, 
traçando planos praticáveis para alcançar o que desejavam. 
Tudo isso claro, a uma fantástica capacidade de entrar em ação 
com ousadia, não temendo os possíveis riscos. 
Isso me lembra um trecho de um pronunciamento de Theodore Roosevelt:
“Muito melhor é ousar e fazer grandes coisas, obter gloriosos triunfos, 
mesmo que ameaçado de “fracasso”, do que fazer fila com aqueles pobres espíritos 
que nunca desfrutam muito nem sofrem muito porque vivem na penumbra cinza, 
onde nem conseguem vitória nem amargam a derrota”.
Tudo isso pode ser uma grande verdade, tendo em vista 
que o único benefício genuíno que possuímos hoje em relação 
ao dia de ontem, são as nossas experiências, 
elas sim são o respaldo para melhores decisões no futuro. 
Agora, se por ventura nos faltam boas experiências, 
talvez seja o caso de estarmos arriscando pouco.
O medo de fracassar talvez seja o motivo de constantes derrotas de 
muitas pessoas (tendo em vista que recebemos aquilo que nos focamos), 
em relação a isto, podemos perceber que pessoas de “sucesso” 
não temem o “fracasso”, na verdade elas nem se relacionam 
com esta palavra, porque para elas não existe este tal de “Fracasso”, 
o que existe são derrotas temporárias
e neste caso refazem os planos e retomam a caminhada rumo ao objetivo, 
com a idéia de que o “fracasso” somente será “fracasso” 
se o aceitarem como realidade em sua mente.
Diante desta afirmação podemos verificar sua veracidade  
na vida de alguns homens como: Thomas A. Edson, Abraham Lincoln, 
Henry Ford, Marconi, Santos Dumont, Bill Gates, Steve Jobsbom a lista é 
muito grande. Por isso, podemos chegar à conclusão 
de que o “fracasso” não passa de um trapaceiro com um agudo 
sensor de ironia, que se delicia em passar a perna em alguém 
quando o sucesso está quase ao alcance das mãos.
O fabuloso de tudo isso, é que estamos invariavelmente aprendendo 
com os nossos erros, ou com os erros dos outros (ou deveríamos), 
e cada erro nos trazem grandes ensinamentos. 
Por isso, não tema “arriscar” após uma análise efetiva, pois se refletir, 
provavelmente perceberá que, os 3 maiores “fracassos” que já teve, 
na verdade acabaram por proporcionar as maiores lições que 
já teve nesta vida.
Por isso, vale a pena neste momento repensar e avaliar 
seus conceitos sobre o chamado “Fracasso”,
 pode ser que perceba que ele na verdade não passa 
de uma benção disfarçada.
 por Allyson R. Soares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário